TIRA DÚVIDAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Envie suas perguntas para ronyfaieth@hotmail.com







segunda-feira, 18 de abril de 2011

Exercício resolvido sobre orações subordinadas substantivas

O Sobrenome de Joana
Se pelo menos eu tivesse conservado meu sobrenome, suspirava sua mãe em dolorido lamento. Joana, quando criança, ouvia essa reclamação muitas vezes. Dolorido e explicável lamento: a mãe era uma mulher submissa, maltratada pelo marido. Em conseqüência, muito cedo, pensando na mãe, Joana decidiu: manteria o sobrenome de solteira, como só casaria com um homem que adotasse seu sobrenome.
Logo as oportunidades começaram a aparecer, bonita, inteligente, ela atraía a atenção dos rapazes. Proposta matrimonial não lhe faltava, até de jovem muito interessante.
  O primeiro pretendente sério foi o Marcelo. Rapaz trabalhador, queria casar. Joana, depois de um namoro morno, disse que aceitava a proposta, mas com aquela condição. Marcelo teria de adotar o sobrenome dela. Coisa que o rapaz rejeitou. Romperam o namoro ali mesmo, ao lado de uma parede de pedra.
  O segundo foi Bruno, não tão sério quanto Marcelo, porém mais inteligente. Namoraram algum tempo, ele propôs o casamento, de noite, ao sair. Suando, ouviu a exigência dela, vacilou; não lhe agradava aquilo, mas fez uma contraproposta: casariam e cada um conservaria seu sobrenome. Nada feito, retrucou Joana.
O terceiro foi Arlindo, não tão inteligente quanto Bruno, mas muito mais afetivo. Desta vez foi Joana quem levantou o assunto: quando a gente se casar, disse, eu quero que você adote meu sobrenome. Ele olhou-a espantado: a verdade é que nunca cogitara isso. Viver juntos, tudo bem; casamento nem pensar. Ela, então, após muitas lágrimas, com os olhos vermelhos de choro, mandou-o embora, indignada.
   Agora, faz tempo que está sozinha, mas tem observado com interesse um colega de escritório. Homem trabalhador, esforçado, inteligente, afetivo. Marido ideal. Problema: ele e ela têm o mesmo sobrenome, Silveira. Se casarem, esse Silveira será o sobrenome dela ou dele? Se for o caso, ela não quer nem saber.
(Moacy Scliar. Folha de São Paulo, 21.03.05. Adaptado)
1.De acordo com o texto, Joana :
a- prefere ficar só, a sair com rapazes.
b- tem saído atualmente com um colega de escritório.
c- pretende ainda se casar.
d- não gostava da mãe.
e- é vista com indiferença, geralmente, pelos rapazes.

2. No texto o termo o casamento(Terceira parágrafo) desempenha a funçao sintática de objeto diretoEssa mesma função vem desempenhada por:
a. Joana disse que aceitava a proposta
b. Ela tinha duvida de que Marcelo a amasse.
c. Joana esperava apenas isto: não perder seu sobrenome
d. A esperança de joana era que encomtraque encntrasse um marido que adotasse seu sobrenome

3. Destaque a alternativa que tenha oração subordinada substantiva predicativa
a. A mãe era uma mulher submissa
B. A verdade é que nunca cogitara isso
C. Romperam o namoro ali mesmo, ao lado de uma parede de pedra.
D. Joana, quando criança, ouvia essa reclamação muitas vezes

4. Suponha que a respeito de uma crise em um clube de futebol, dois jormais publiquem o seguinte:
JORNAL A
Os jog adores que foram criticados pelo tecnico pretendem sair do clube.
JORNAL B
Os jog adores, que foram criticadospelo tecnico, pretendem sair do clube.
Destaque a alternativa incorreta:
a. O jornal A faz uso de uma oração adjetiva restritiva
b. O jornal B informa que nem todos os jogadores foram criticados pelo tecnico.
c. O jonal B faz uso de uma oração adjetiva explicative
d. O jornal B informma que todos os jogadores foram criticados pelo tecnico

9 comentários:

  1. Exercícios muito bons. Estou aproveitando essas sugestões. Parabéns

    ResponderExcluir
  2. gostei muitoooooooo
    manda mais umas respostas.

    ResponderExcluir
  3. Muito façeis as questões só achei um pouco complicado a do Clube de futebol

    ResponderExcluir
  4. Nao entendi pq marcou essa frase como osspredicativa,Pode comentar o motivo Por favor! obrigada!
    3. Destaque a alternativa que tenha oração subordinada substantiva predicativa
    a. A mãe era uma mulher submissa
    B. A verdade é que nunca cogitara isso - -----------
    C. Romperam o namoro ali mesmo, ao lado de uma parede de pedra.
    D. Joana, quando criança, ouvia essa reclamação muitas vezes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A oração subordinada ( que nunca cogitara isso)funciona como predicativo do sujeito, liga-se a ele por meio de um verbo de ligação.
      Observe a estrutura do período composto:
      sujeito + vebo de ligação + oração subordinada

      Excluir
  5. ajudou bastante obrigada

    ResponderExcluir