TIRA DÚVIDAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Envie suas perguntas para ronyfaieth@hotmail.com







domingo, 28 de novembro de 2010

questões de Lingua Portuguesa com gabarito(concurso)

O sentido linguístico da vida
Aldo Bizzocchi

Segundo consta, nós, humanos, somos as únicas criaturas do planeta a fazer
perguntas ontológicas, vale dizer, a questionar a nossa própria existência. E isso se dá exatamente porque somos a única espécie dotada de linguagem. (Observe que falo em "linguagem" e não em "comunicação", pois esta todas as espécies superiores possuem.)

Em outras palavras, é a linguagem que permite a consciência.
Há três grandes mistérios a torturar o intelecto humano: a origem do Universo
(e, portanto, de tudo o que existe), a origem da vida e a origem da consciência (isto é, de uma forma de vida que sabe que está viva e que o Universo ao redor existe). Mas este último mistério se prende a um quarto e bem menos explorado: a origem da linguagem.

Quatro condições são necessárias à existência da consciência. Em primeiro lugar, vida: seres inanimados não têm consciência (embora alguns filósofos New Age afirmem que sim). Em segundo lugar, atividade mental: amebas são vivas mas não conscientes. Em terceiro, memória: só posso compreender que um pássaro em voo está em movimento porque me lembro de que, um instante atrás, ele estava em outro lugar do céu; só posso saber que estou vivo e quem sou porque me lembro do meu passado.
Se eu não tivesse memória, cada instante da minha existência seria como o primeiro, e
eu viveria um eterno "nascimento". Enfim, a consciência está ligada à sensação, não
importa se real ou ilusória, da passagem do tempo.
Finalmente, a quarta condição para a consciência é a linguagem. Animais superiores, como cães e chimpanzés, são vivos, inteligentes, dotados de memória e, no entanto, não parecem ter consciência de si mesmos além de suas sensações, sentimentos e pulsões de satisfazer necessidades fisiológicas.

Somente a linguagem humana realiza abstrações, ou seja, cria um mundo "que não existe" a partir do que existe. Por isso, o maior impasse da filosofia não é descobrir se a realidade que vemos está aí ou não (é bem provável que sim, ainda que não seja exatamente como a vemos). É saber se a realidade que só vemos em nossa mente
existe fora dela. Enfim, nossa vida tem algum sentido ou somos nós que damos sentido
a ela?
01. Leia os enunciados abaixo,
I. Cabe à Filosofia, segundo Aldo Bizzocchi, chegar a conclusões a respeito das realidades criadas por nossas abstrações.
II. Afirma-se, no texto, que o ser humano é a única espécie viva capaz de se comunicar; por isso, a única que tem consciência.
III. Para Aldo Bizzocchi, a sensação de passagem do tempo, assim como a existência da realidade externa, são indubitavelmente ilusórias.
IV. De acordo com o autor, para haver consciência, não basta ter vida; é preciso também ser inteligente, ter memória e ser dotado de linguagem.
Em relação às idéias desenvolvidas no texto, está correto o que se afirma em
(A) I e II.
(B) I e IV.
(C) II e III.
(D) I, II e III.


02. O questionamento ontológico a que se refere Aldo Bizzocchi diz respeito a
(A) dúvidas acerca da linguagem humana.
(B) indagações a respeito da existência humana.
(C) perguntas relativas a outras espécies superiores de vida.
(D) incertezas quanto ao fato de ser o homem a única criatura do planeta.

03. Julgue os itens abaixo:
I. A locução “Por isso” (linha 25) sinaliza uma causa.
II. “Em outras palavras” (linha 5) retoma e contradiz a ideia apresentada anteriormente.
III. A expressão “vale dizer” (linha 2) introduz uma explicação e tem o mesmo valor da locução “ou seja”.
IV. A substituição de “a torturar” (linha 6) por “que torturam” mantém a coerência e a correção
gramatical do período.
Está correto o que se afirma em
(A) I e II.
(B) I, II e III.
(C) I, III e IV.
(D) I, II, III e IV.

04. Em “É a linguagem que permite a consciência”, o “que” é pronome relativo com função anafórica.
Esse mesmo fenômeno coesivo ocorre em
(A) “só posso saber que estou vivo” (linha 16).
(B) “cria um mundo ‘que não existe’" (linhas 24-25).
(C) “embora alguns filósofos New Age afirmem que sim” (linhas 12-13).
(D) “só posso compreender que um pássaro em voo está em movimento” (linhas 14-15).

05. Julgue os enunciados abaixo:
I. O substantivo “pulsões” (linha 23) significa força que dirige e incita as ações dos seres vivos.
II. Há uma concordância siléptica em “nós, humanos, somos as únicas criaturas do planeta a fazer
perguntas ontológicas” (linhas 1-2).
III. A palavra “intelecto” em “Há três grandes mistérios a torturar o intelecto humano” (linha 6) poderia
ser substituída, sem perda de sentido, por “mente”.
IV. Em “cada instante da minha existência seria como o primeiro, e eu viveria um eterno ‘nascimento’”
(linhas 17-18), os verbos estão no futuro do pretérito e encerram ações a serem realizadas no futuro.
É verdadeiro o que se afirma em
(A) I e III.
(B) I, II e III.
(C) I, II e IV.
(D) II, III e IV.


1-b
2-b
3-c
4-b
5-a

Um comentário: